Por que é proibido divulgar preço de cirurgia plástica no Brasil?

médico indicando cuidados pré e pós-cirurgia plástica
Descubra se está pronta para seguir os cuidados pré e pós-cirurgia plástica
novembro 16, 2015
Dr. Ronan Horta recebe prêmio em 52º CBCP
Dr. Ronan Horta recebe homenagem em 52º Congresso Brasileiro de Cirurgia Plástica
novembro 24, 2015
Mostrar tudo
cifrão feito com remédios

Essa questão será explicada para facilitar o planejamento do procedimento cirúrgico.

Quem proíbe divulgar preço de cirurgia plástica?

Tanto o Conselho Federal de Medicina (CFM), em resolução publicada no Diário Oficial da União, quanto a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), em regimento interno, proíbem a divulgação de preço de cirurgia plástica e procedimento estético.

Isso fica claro no 3º artigo da Resolução CFM N º 1.836/2008:

Art. 3º: Cabe ao médico, após os procedimentos de diagnóstico e indicação terapêutica, estabelecer o valor e modo de cobrança de seus honorários, observando o contido no Código de Ética Médica, referente à remuneração profissional.

O que levou o CFM a proibir a divulgação de preços?

Eis o motivo: vulgarização mercadológica da cirurgia plástica, o que colocava em risco a saúde das pacientes.

O estopim foi há alguns anos, quando surgiram empresas que ofereciam planos fechados de financiamento para cirurgias plásticas. Veja os exemplos citados na Resolução CFM N º 1.836/2008:

  • “Aumento de mama em 24x de R$ 285,41 ou à vista por R$ 4.800,00”.
  • “Promoção: abdômen em 24x de R$ 184,33”.

Primeiro a paciente comprava o plano. Só depois de assinar o contrato é que se consultava com um médico, ou seja, não havia indicação prévia de cirurgião plástico.

Quando algo impedia a realização do procedimento, as consumidoras enfrentavam dificuldades para receber o dinheiro de volta.

A proibição de divulgar preço de cirurgia plástica em qualquer meio de comunicação combate esse tipo de prática antiética.

Por que é impossível definir previamente o preço de cirurgia plástica?

Porque varia de acordo com a paciente, afinal cada pessoa possui características únicas que o médico levará em conta nos exames.

É por isso que a resolução do CFM determina que o valor só pode ser estabelecido pelo médico após uma série de procedimentos e avaliações pré-operatórias.

Existem, também, despesas hospitalares, que podem variar:

  • Taxas.
  • Diárias adicionais.
  • Medicamentos de uso esporádico e em situações imprevistas.
  • Exames laboratoriais feitos no hospital ou em outras instituições.
  • Transfusões sanguíneas.
  • Transferências para outros hospitais.

Com tanto a se considerar, como divulgar preço de cirurgia plástica previamente? Não existem valores pré-determinados.

Desconfie de qualquer clínica ou empresa que apresente valores prévios para o procedimento. Os médicos também são proibidos de aceitar pacientes oriundos de empresas que vendem planos de cirurgia.

Como saber o preço de cirurgia plástica?

Consultar o médico e se submeter às avaliações dele é a única maneira segura e ética de saber quanto custará o procedimento cirúrgico.

Ainda assim, deve-se lembrar de que há despesas hospitalares extras e a chance de ocorrerem imprevistos que somarão aos gastos.

Mais importante que preço baixo, é planejar com calma e escolher cirurgião plástico de confiança. Sendo assim, em nome da segurança, tranquilidade e saúde, o melhor a se fazer é desconsiderar o preço como critério principal.

Prefira materiais, equipamentos e instalações adequados a se arriscar e abrir mão da qualidade em nome de valores menores.

 

Imagem